Pesquisar
Close this search box.

Baixe o App

Criança de 8 anos escuta pela primeira vez depois de tratamento inovador

Fotos: CUH/NHS.

Uma criança de 8 anos, Opal Sandy, de Oxfordshire, Reino Unido, que nasceu surda devido à neuropatia auditiva, ouviu pela primeira vez graças a um tratamento genético inovador.

Opal nasceu com uma variação no gene OTOF, responsável pela produção da proteína otoferlina, crucial para a comunicação entre as células ciliadas internas do ouvido e o nervo auditivo. Essa variação impede a transmissão dos impulsos nervosos do ouvido interno ao cérebro, resultando em surdez.

Aos 11 meses, Opal foi tratada no Hospital Addenbrooke, em Cambridge, como parte de um ensaio global. O tratamento envolveu a infusão de um vírus inofensivo contendo uma cópia funcional do gene OTOF diretamente na cóclea, durante uma cirurgia sob anestesia geral. Quatro semanas após a infusão, Opal começou a responder a sons, um marco emocionante para sua família e a equipe médica. Em 24 semanas, sua audição já captava sons e fala mais suaves.

Além do tratamento genético, Opal recebeu um implante coclear no ouvido esquerdo para complementar a terapia. Os resultados foram positivos e surpreendentes: aos 18 meses, Opal já respondia às vozes dos pais e pronunciava palavras como “Dada” e “tchau”. Esses avanços não só transformaram a vida de Opal e sua família, mas também demonstraram o potencial de tratamentos genéticos para condições antes consideradas incuráveis.

Os resultados do tratamento de Opal foram apresentados no congresso da Sociedade Americana de Terapia Genética e Celular em Baltimore, nos Estados Unidos. Richard Brown, Pediatra Consultor da CUH e membro do estudo, destacou que os resultados são promissores e que, a longo prazo, tais tratamentos podem exigir menos acompanhamento, tornando-se uma opção viável globalmente. Esse avanço traz esperança para milhões de crianças ao redor do mundo que sofrem de condições genéticas semelhantes, sinalizando um futuro mais inclusivo e cheio de possibilidades.

Veja foto do procedimento:

A criança após a cirurgia:

Fonte: Só Notícia Boa.