Pesquisar
Close this search box.

Baixe o App

Eventos Supertransmissores: entenda os perigos do CH4

O metano (CH4) é responsável por cerca de 25% da emissão de gases do Efeito Estufa

Os superemissores são equipamentos, instalações ou outras infraestruturas onde ocorrem fugas de metano em massa, geralmente devido a falhas estruturais. Essas fugas podem durar semanas, liberando quantidades imensas de CH4 para a atmosfera.

A maioria das superemissões ocorre na indústria de petróleo e gás, extração de carvão e em aterros sanitários de grandes proporções.

Segundo estudo liderado pelo cientista Thomas Lauvaux, do Laboratório de Ciências Ambientais e do Clima da Universidade de Saclay, na França, publicado pela revista Science, os superemissores liberaram cerca de 8 milhões de toneladas de metano por ano durante a produção de petróleo e gás, entre 2019 e 2020. Valor equivalente de 8% a 12% das emissões globais anuais de CH4.

Mesmo com os enormes danos causados por essas emissões de metano, os eventos supertransmissores são difíceis de serem combatidos devido a dificuldade em detectar os focos, já que se trata de um gás incolor e inodoro.

Para encontrar e catalogar as perdas de metano, o PNUMA lançou, em outubro de 2021, o Observatório Internacional de Emissões de Metano (IMEO), que utiliza imagens de satélite para localizar os vazamentos do material.

Foto: reprodução/gcmais

Com o Instrumento de Monitoramento Troposférico (Tropomi), foi possível encontrar cerca de 1,8 mil superemissões de metano entre 2019 e 2020. Mas as imagens de satélite tem suas limitações.

De acordo com a Associação de Metano de Petróleo e Gás 2.0 do PNUMA, o metano é muito mais prejudicial que o CO2. Por isso especialistas em mudanças climáticas passaram a criar metas para a redução da emissão de CH4.

Como o metano possui vida atmosférica menor que o dióxido carbônico, em média 12 anos, contra séculos de permanência do CO2, reduzir sua emissão traria resultados a curto prazo, e melhoras poderiam ser sentidas em pouco mais que uma década.

Por isso, reduzir as emissões de metano é uma oportunidade fundamental para limitar a velocidade do aquecimento em curto prazo, enquanto prosseguem os esforços mais abrangentes de descarbonização.

#blinknews #blink102fm #campão #campograndems #radioblink #conteudoblink #blinkmultiplataforma #blinkplataforma360 #entretenimento