Pesquisar
Close this search box.

Baixe o App

Seu cachorro tem alguma fobia? Descubra o que pode ter causado medo no seu doguinho

O medo é uma resposta do organismo e faz parte do instinto de sobrevivência do pet, mas quando infundado pode provocar transtornos psíquicos e sociais.

Os cachorros assim como humanos, possuem sua personalidade e individualidade. Por tanto, o que provoca medo em um animal não necessariamente causará o mesmo sentimento em outro.

No entanto, alguns estímulos são tão intensos que causam a mesma reação na maioria dos indivíduos, como, por exemplo, o ruído dos fogos de artifício. É muito comum encontrar um cachorro que tenha medo desse barulho.

Possíveis causas do medo do seu dog:

– Abandono

Muitos cães que sofreram abandono são mais medrosos devido à insegurança que sentem em relação ao seu futuro e ao que sofreram enquanto estavam na rua.

É bastante comum que os pets também tenham medo de cabos de vassoura ou rodos, e que se sintam ameaçados quando alguém começa a falar um pouco mais alto.

– Traumas de infância

Os traumas de infância nos cachorros acontecem durante seus primeiros quatro meses de vida. Nessa fase, ocorre a socialização do animal. É quando devemos apresentar sons, texturas, gostos e manejá-lo para que ele se acostume com banhos e passeios, por exemplo.

Caso o cachorro seja retirado muito cedo do convívio com os irmãos e mãe, antes dos dois meses, sua socialização fica prejudicada, uma vez que ele perde ensinamentos das regras caninas.

Assim, ele pode não conseguir se comunicar direito com outros cães, ser mal interpretado ou não interpretar corretamente os sinais do outro animal. Isso provoca brigas e desentendimentos, traumatizando e deixando o cachorro medroso.

– Falta de consistência nos limites e regras

Animais bem-educados são mais seguros. Quando eles entendem as regras, sabem o que esperar e ficam menos ansiosos. Sendo assim, estipular regras de convívio com seu pet é muito saudável para ambos.

Sintomas de medo no cachorro:

Um dos sintomas mais comuns do medo é a tremedeira. O cão fica encolhido, e é muito fácil ver suas patas tremendo. O coração bate acelerado, e as pupilas estão dilatadas.

Com o tremor, o corpo do cachorro se aquece e ele fica ofegante, além do aumento da frequência respiratória devido à alta liberação de adrenalina.

É muito comum que o peludo coloque o rabo entre as pernas. Com isso, ele “tapa” seu ânus e encobre o odor que exala para tentar esconder de outros cães que está com medo.

É possível que nesse momento o cão fique nervoso. Ele pode rosnar e até investir contra quem tenta chegar perto. Nesse caso, não obrigue o pet a fazer nada, apenas não se aproxime para não se machucar.

Como ajudar o cachorro com fobia:

  • Pegue bastante petiscos e tenha paciência.
  • exponha o peludo ao seu medo: por exemplo, se o medo é o barulho de fogos, use seu celular e comece com um volume baixo;
  • elogie e vá oferecendo o petisco conforme aumenta a exposição;
  • pare se perceber qualquer sinal de estresse no animal;
  • aumente gradativamente a exposição até que ele se acostume;
  • faça esse exercício semanalmente para que ele não se esqueça da lição e o medo retorne.
  • prepare um “cantinho da segurança” na casa para ele.
  • nesse local, coloque um som ambiente agradável e borrife um feromônio sintético.
  • Conte com a ajuda de um veterinário especialista em comportamento animal.

#blinknews #blink102fm #campão #campograndems #radioblink #conteudoblink #blinkmultiplataforma #blinkplataforma360